Saúde

Tipos de Leishmaniose – Causas e Sintomas

Tipos de Leishmaniose é uma doença infecciosa, mas não é contagiosa e o causador é um parasita do gênero Leishmania. Existem dois tipos de leishmaniose a tegumentar ou cutânea e a leishmaniose visceral ou calazar. A do tipo tegumentar tem como características feridas na pele que costumam aparecer nas partes descobertas do corpo. Mais tarde pode surgir varias feridas nas mucosas do nariz, da boca e da garganta. Essa forma de leishmaniose também é conhecida como ferida brava. A leishmaniose visceral é uma doença sistêmica, porque acontecer em vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. Esse tipo de leishmaniose costuma ser mais comum em crianças de até dez anos; após esta idade se torna menos comum. É uma doença de evolução longa, podendo durar alguns meses ou até ultrapassar o período de um ano.

Causas dos Tipos de Leishmaniose  

A leishmaniose é transmitida por insetos hematófagos assim chamados os insetos que se alimentam de sangue também conhecidos como flebótomos ou flebotomíneos. Os flebótomos medem de 2 a 3 milímetros de comprimento e por serem muito pequenos conseguem atravessar as malhas dos mosquiteiros e telas. Eles tem uma cor amarelada ou acinzentada e suas asas permanecem abertas quando estão em repouso. Seus nomes variam de acordo com a localidade; os mais comuns são: mosquito palha, tatuquira, birigüi, cangalinha, asa branca, asa dura e palhinha. O mosquito palha ou asa branca é mais encontrado em lugares úmidos, escuros, onde existem muitas plantas.

As fontes de infecção das leishmanioses são, principalmente, os animais silvestres e os insetos flebotomíneos que abrigam o parasita em seu tubo digestivo, mas um hospedeiro muito comum é o cão doméstico. Na leishmaniose cutânea os animais silvestres hospedeiros são os roedores silvestres, tamanduás e preguiças. Na leishmaniose visceral a principal fonte de infecção é a raposa do campo.

Sintomas dos Tipos de Leishmaniose 

Na Leishmaniose visceral os sintomas mais comuns são a febre irregular, prolongada; anemia; indisposição; palidez da pele e ou das mucosas; falta de apetite; perda de peso; inchaço do abdômen devido ao aumento do fígado e do baço. A Leishmaniose cutânea, duas a três semanas após a picada surge uma pequena elevação da pele avermelhada que vai aumentando de tamanho até formar uma ferida recoberta por crosta ou secreção purulenta. A doença também pode se manifestar como lesões inflamatórias nas mucosas do nariz ou da boca.

Compartilhamos abaixo algumas formas de prevenção contra a Leishmaniose:

– Evitar construir casas e acampamentos em áreas muito próximas à mata;

– Fazer dedetização, quando indicada pelas autoridades de saúde;

-Evitar banhos de rio ou de igarapé, localizado perto da mata;

-Utilizar repelente na pele, quando estiver em matas de áreas onde há a doença;

-Usar mosquiteiros para dormir;

-Usar telas protetoras em janelas e portas.

Agradecemos a visita em nosso site. Procuramos trazer sempre o melhor para você. Gostou da matéria! Se perceber alguns dos sintomas procure ajuda médica imediatamente! Deixe seu comentário.

Print Friendly

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.