Saúde

Dispareunia a Dor Gênito-Pélvica – Sintomas e Tratamento

Dispareunia a Dor Gênito-Pélvica – (DPG) é uma disfunção sexual difícil de ser avaliada e existem mulheres que garantem ter de tomar drogas para conseguir engravidar como o “Boa Noite Cinderela”, por sofrerem desta disfunção  o que “impede” a penetração vaginal

Sintomas de Dispareunia a Dor Gênito-Pélvica

O problema também é muito conhecido como vaginismo e chega a atingir cerca de 13 % das mulheres no mundo. Mulheres com a dispareunia relatam dores no ato ou  na tentativa sexual.

O DPG pode ser identificado quando ocorre pelo menos alguns destes itens abaixo compartilhados durante um período de seis meses:

Incapacidade de ter penetração vaginal por pelo menos 50% das tentativas;

Dor na vulva ou vagina por pelo menos 50% das penetrações vaginais;

Medo da penetração vaginal, ou da dor causada por ela por pelo menos 50% das tentativas das penetrações vaginais;

Tensão e ou contratura muscular involuntária no assoalho pélvico durante a penetração por pelo menos 50% das tentativas.

Existem algumas causas físicas que cooperam para o quadro de DGP. São elas: endometriose, vulva atrofiada, cistite, infecções urinárias, HPV, candidíase e síndrome do cólon irritável. Também podem ter causas psicológicas, que envolvem tabus, educação rídiga/opressora, abuso e traumas sexuais, falta de educação sexual, restrições sociais e causas psiquiátricas como a ansiedade e depressão. Existe uma relação quase que oportunista entre as causas físicas e psíquicas, por isso o tratamento e atendimento multidisciplinar são muito importantes.

Tratamento de Dispareunia a Dor Gênito-Pélvica

O vaginismo é uma espécie de disfunção, não é uma doença sendo classificada como transtorno de dor gênito-pélvica.  As mulheres que tem este problema realmente não conseguem ter uma penetração vaginal. Ela tem dificuldade persistente e recorrente em ter penetração. Esta disfunção ainda é tratada, de maneira branda até entre os médicos. Quando as mulheres procuram um ginecologista para relatar seu problema e qual seria o tratamento muitas recebem a orientação de que devem ficar calmas e relaxar no momento.

É importante que a mulher saiba que existe tratamento e cura para o problema. Podem ser feita uma reeducação no cérebro feminino com tratamentos de relaxamento, respiração e consciência corporal e os dilatadores vaginais também são uma opção. A fisioterapia é uma grande aliada no tratamento do problema e a eletroestimulação também pode ser usada. A fisioterapia pélvica é um tipo de tratamento de abordagem bem  simples onde a mulher vai perdendo o medo com a ajuda dos exercícios, como a massagem perineal, por exemplo, em que ela vai criando um melhor controle dos músculos vaginais.

Agradecemos a visita em nosso site. Procuramos trazer sempre o melhor para você. Gostou da matéria! Procure por um médico se os sintomas persistirem e faça o tratamento! Deixe seu comentário.

Print Friendly, PDF & Email
Últimas Pesquisas:
  • a penetração

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.