Saúde

Câncer De Garganta Está Mais Relacionado Ao Sexo Oral, Do Que Ao Tabagismo Ou Bebidas Alcoólicas, Articula Pesquisas.

 

CÂNCER DE GARGANTA ESTÁ MAIS RELACIONADO AO SEXO ORAL, DO QUE AO TABAGISMO OU BEBIDAS ALCOÓLICAS, ARTICULA PESQUISAS.

 

 

É notório que o tabagismo, bem como o consumo exagerado de bebidas alcoólicas sempre foram os maiores vilões no desenvolvimento de câncer na garganta. No entanto, através de pesquisas recentes os cientistas asseguram que o sexo oral está no topo da classificação entre o desempenho de risco.

As pesquisas foram realizadas pela Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos, onde foi detectado o vírus HPV (do inglês, a sigla HPV – Papiloma Vírus Humano), que presentemente é a real causa da doença em pessoas com menos de 50 anos. O papiloma vírus humano pode provocar lesões de pele ou em mucosas. Segundo pesquisas existem mais de 200 modificações com menores e maiores graus de ameaças. Sendo que um deles é o causador de verrugas no colo do útero, consideradas lesões pré-cancerosas.

Vulnerável a estas causas estão os homens com mais de 50 anos, em razão de serem as principais vítimas do câncer de garganta. Sobretudo os de histórico de fumo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas. No entanto os problemas tem se agravado nas faixas etárias com menos idade, onde se verificou ter dobrando nos últimos 20 anos nos Estados Unidos em homens com menos de 50 anos devido ao ataque do vírus HPV.

Na Europa países como Inglaterra e Suécia, igualmente foi identificado o aumento da doença por conata do HPV. Sendo que, na Suécia, somente 25% dos casos tinham relação com o vírus na década de 1970 e, atualmente o índice atinge os 90%, conforme uma das pesquisadoras, professora Maura Gillison.

Diz a professora, que alguém infectado com o tipo de vírus associado ao câncer de garganta tem 14 vezes mais chances de desenvolver a doença. "O fator de risco amplia de acordo com a quantidade de parceiros sexuais e principalmente com aqueles que se praticou o sexo oral", assegurou a pesquisadora.

O saldo dessa pesquisa confirma outros já realizados sobre o mesmo assunto, a exemplo dos estudos efetivados pela Universidade Johns Hopkins, também nos Estados Unidos, que no ano anterior efetuaram levantamento, no qual ficou caracterizado que as pessoas que se relacionaram com mais de seis parceiros praticado sexo oral, apresentavam nove vezes mais chances de desenvolver o câncer de garganta. Nos casos em que já haviam tido algum tipo de infecção gerado pelo HPV, o risco elevaria para 32 vezes.

Assim sendo, os pesquisadores que desempenharam o levantamento aconselharam que homens também devessem ser submetidos a vacinas contra o vírus, da mesma forma que se recomenda para as mulheres. No caso de países como a Inglaterra, meninas de 12 e 13 anos já são atendidas com vacinas contra o virus do HPV e, nos dados apresentados apurou-se que a vacina pode prevenir em até 90% dos casos infecciosos.

Para os brasileiros, existem dois tipos de vacinas a disposição, contra os vírus mais comuns de câncer do colo do útero, porém o governo não dá garantias da eficácia da vacina, o que só poderá ser comprovado depois de muitos anos sobre total acompanhamento. Adverte também, que a prática de sexo seguro, é a melhor forma de prevenção.

Fonte: Terra

www.big1news.com.br. Trazendo o melhor para você.

Não Esqueça. Deixe o seu Comentário.

 

Print Friendly
Últimas Pesquisas:
  • cancer de garganta
  • garganta

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.